Orgulho e Preconceito e Zumbis – Seth Grahame e Jane Austen

“Cuidado com o cérebro, Senhor Darcy!”

Meu lado mas nerd diz respeito a animes e assombrações, o meu outro lato digamos “culto” é apaixonado por clássico. A Carol já havia escrito sobre Livro e Filme: Orgulho e Preconceito, de Jane Austen no DRC, que eu super indico também! Agora e se… juntássemos esse clássico com zumbis, ninjas e mestres shaolins? Diversão na certa!

A história é 80% a mesma, o que muda mesmo são os extras. Imagine você num baile vitoriano e de repente zumbis invadem essa paisagem e começam a devorar todo mundo? É isso que se passa no livro. Uma pitadinha de emoção nesse clássico romântico. Não que a intriga matrimonial já não seja emocionante para quem gosta, já li ambos e cada um tem seu sabor.

Uma praga misteriosa caiu sobre a quieta cidade inglesa de Meryton e os mortos estão voltando à vida! A corajosa heroína Elizabeth Bennet está determinada a acabar com a ameaça zumbi, mas ela é logo distraída pela chegada do arrogante Sr. Darcy. O que se segue é uma agradável comédia de conduta com muitas brigas civilizadas entre os dois jovens amantes e brigas ainda mais violentas no campo de batalha sangrento enquanto Elizabeth trava uma guerra contra hordas de mortos-vivos comedores de carne humana. Será ela capaz de extinguir a cria de Satã? E superar os preconceitos sociais da orgulhosa pequena nobreza?”

Claro que o livro “montou” nessa febre de fantasia sobrenatural macabra que está rolando hoje em dia, mas não deixa de ser interessante. A coleção [Clássicos Fantásticos] do qual faz parte é recheada de releituras dos clássicos e uma boa pedida para quem não gosta de ler “os livros chatos” da escola. Depois de você ler a versão “bizarra” acaba tendo interesse pela original, pelo menos é o que eu venho vendo acontecer com por exemplo: “ Senhora, a Bruxa” ou “Dom Casmurro e os Discos Voadores” ou até “A escrava Isaura e o Vampiro“… Como poderia ser ruim? Os clássicos que somos “obrigados” a ler de um jeito totalmente remasterizado e eficiente? Minha mãe como uma boa professora de Língua Portuguesa aprovou a ideia, apesar de não achara que uma leitura substitua a outra, mas que vale pela criatividade e por despertar o interesse para a literatura “real”.

Nessa versão, a Inglaterra é assolada por uma praga que provoca o “levante dos mortos” num estilo apocalipse zumbi corriqueiro, isto é, a presença dos zumbis se torna derradeira normal e seus ataques são encarados trivialmente. Para lutar contra a ameaça dos “não mencionáveis” as irmãs Bennet são treinadas desde criança no combate: é uma versão aprimorada das “prendas” femininas valorizadas na época como: Piano, pintura, canto, etc…

 A abertura do livro é genial e cômica: “É uma verdade universalmente aceita que um zumbi, uma vez de posse de um cérebro, necessita de mais cérebros.”. Claro que abre a curiosidade e prepara de certa forma os estômagos para a carne decrépita, vômitos, cadáveres que decora a trama romanesca. Embora os zumbis enfeitem o enrredo de maneira nehuma se perde a história original, como eu já disse 80% é igual, o resto são releituras incluindo lutas e mortos vivos.

Best-seller do The New York Times, já foi traduzido em 20 línguas tem partes cômicas e outras bem trashs… Vale ressaltar que há várias partes engraçadas e também fins trágicos para alguns personagens, sem falar na “batalha” final entre Elizabeth e a tia de Darcy… Claro que se você espera uma historinha floreada como a original, desista, a pesar de manter os moldes da época há várias partes inusitadas como, por exemplo, um pedido de casamento recusado com um chute na cara…

Com certeza se você gosta de um pouco de sangue e aventura (+ romance) – como eu – vai adorar o livro. As boas e velhas histórias de um jeito trash foram uma ótima ideia de inovar o que inovou antigamente. A linda história de Jane Austen acrescentada de zumbis, muitos golpes e batalhas contra os mortos vivos é sem dúvida algo que não pode faltar na sua estante! Compre aqui. Se, por acaso você não gosta da ideia de tanta carnificina zumbi, tente experimentar por exemplo o vampiros da escrava Isaura, já que estes são mais tolerados hoje em dia… Boa leitura e cuidado com os cérebros! (Texto também disponível no meu blog: Como eu Amo Meu Pijama)

Ah! E acreditem, se você leu o livro e gostou você é automaticamente um fã de Jane Austen, porque embora tenha  zumbis, não são eles que fazem da trama algo incomparável… O que faz é o enredo vitoriano aristocrático rural criado por essa escritora clássica que rompeu os padrões do seu tempo, é como Romeu e Julieta, sempre vai ser atemporal, universal e incrivelmente cativante sem ou com zumbis!

Lívia Reginato

One thought on “Orgulho e Preconceito e Zumbis – Seth Grahame e Jane Austen

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s