Paris is always a good idea!

Paris, ah, paris. Vários suspiros para essa cidade encantadora. Brilho no olhar só de lembrar de tudo lindo que eu tive a oportunidade de conferir. Pronto, já posso escrever.

Quem já assistiu Anastácia (amo, um dos meus desenhos favoritos) teve a sensação de Paris ser a única cidade iluminada no mundo. E ela realmente é. Não estou falando de postes e lâmpadas, mas a atmosfera de lá é completamente diferente de tudo que eu já vi, e olha que eu até sou um pouco viajada.

Confesso que meu sonho nunca fui Paris. Aliás, ela nunca foi protagonista em minha lista de cidades para conhecer antes de morrer. Hoje eu vejo que eu estava errada, doida e com um estado mental digno de uma internação. Meninas, não cometam o mesmo erro que eu! Façam de tudo para dá uma respirada no ar parisiense.

Mas falando sobre a viagem. Eu cheguei lá pela Ryanair, uma empresa de aviação européia. Fui de Treviso (Itália) para Paris e não tive dificuldade nenhuma para entrar. Muito pelo contrário, não teve nenhum policial para carimbar meu passaporte!

Cheguei a Paris no final do inverno, não é uma época muito boa para visitas. Mas, ainda assim, a cidade estava linda. Amo quando as árvores estão sem folhas e quando o céu está mais prateado. Se você for nessa época, leve casaco e muitas blusas e meias. Segunda pele é algo essencial.

Outra dica é importante é esquecer que existe táxi na terra. Existe algo muito maravilhoso chamado metrô. Toda vez que você vê uma plaquinha com um M saiba: ou é um McDonalds ou é um Metrô. Claro que o metrô terá a escadinha para você ter acesso até o subterrâneo. O metrô de Paris é super fácil de andar, a própria linha 1 vai para vários pontos turísticos. Para ir até a Torre Eiffel ou Notre-Dame será necessário a troca de linha, acho que para ambos os casos é necessário a troca em Chatelet ou é em Gare de Lyon.

Meu primeiro ponto turístico foi o Arco do Triunfo. Construindo em comemoração às vitórias de Napoleão, ele foi protagonista do mico do ano. Sim, pessoas, eu caí em pleno Arco do Triunfo, sabe Deus como. Resultado: ganhei uma mão ralada e um joelho roxo. Sou a prova viva que nem tudo em Paris é lindo.

Depois da minha queda rica, fui até a Champs-Elyssés. Tive meu primeio contato com a Sephora e, gente, ALGUÉM INAGURA ESSA LOJA LOGO NO BRASIL, PELO O AMOR DE DEUS.

Logo após, fui para o Museu do Louvre. Quem anda no metrô de Paris, vai ouvir na linha 1 uma mulher falando: Palais-Royal Mussé du Louvre. Devo dizer que eu sei imitar essa mulher tão bem que hoje eu não paro de repetir Palais-Royal Mussé du Louvre; Bastille; Saint Paul e toda as estações da linha 1. Mas voltando ao Museu, se permita ir conhecer o jardim, que deve ser a coisa mais linda do mundo na primavera. E se assuste com o tamanho, são mais de 3.500 obras. Se você tem o sonho de conhecer uma determinada obra de arte, vá direto até ela. Como toda a população mundial quer conhecer a Monalisa, é só buscar pela parte dos pintores italianos. A sala onde fica a Monalisa é a mais lotada do museu, chega ser difícil para tirar uma fotinha. E outra, ela é bem menor e mais instigante ao vivo. Para quem leu O Código da Vinci, é legal conhecer a Madonna dos Rochedos, outra obra linda e instigante do Leonardo da Vinci.

Para quem está sentindo falta da Torre Eiffel, aqui está. Eu a considerava um clichê, mas agora entendo o porquê de todo os sonhos voltados até ela. Eu só tenho uma coisa a declarar: ela é linda. Me dá até um aperto no coração saber que um dia pensaram em destruí-la. A fila para entrar é bem grandinha, mas eu acho o ingresso até barato. Para subir até o topo é uns 13 euros e somente até o primeiro andar é uns 8. Eu paguei apenas 6,50, por causa da minha idade. Lá, tem um elevador e melhor vista de Paris. Cheguei a conclusão que a torra é super fotogênica, não existe um ângulo que ela não fique linda e humilhe total. A torre brilha a cada 50 minutos, dando um show de iluminação. Não a visitei de noite, mas creio que deve ser lindíssima.

Sou fã do escritor Victor Hugo, e não poderia deixar de visitar Notre-Dame. Mesmo não sendo católica, adoro Igrejas. Sinceramente, achei a energia da de lá extremamente forte, mas ela é tão linda que é impossível não sair de lá emocionada. Uma dica importante é tentar ir no final da tarde, quando começa a missa. Eu fui sem querer e é lindo perceber a fé das pessoas.

É legal tirar um dia somente para as compras. Em Paris tem de tudo e com vários preços. A Champs-Elyssés tem um mundo infinito de lojas, dá para ser super feliz.

Uma das minhas decepções nessa viagem é que não deu para conhecer Versalhes. A dica que me deram depois (beeem depois, por sinal) é que o palácio tem que ser conhecido primeiro, porque requer um certo tempo para a viagem de trem, já que ele fica fora de Paris. Mas deve ser lindo, estava louca para conhecer, mas não deu.

Também fui para a Eurodisney, mas como eu realizei meu maior sonho de infância e nunca fui tão feliz em minha vida, resolvi fazer um post somente para esse dia. É o próximo post sobre a Europa, tá?

Minha visão sobre Paris mudou completamente, espero MUITO voltar lá um dia. Como boa espírita, tenho uma ligação muito forte com Lyon,  que eu espero muito visitar um dia. Me aguarde.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s